Qual a vantagem dos manipulados sobre os demais?

O objetivo do guia não é apenas solucionar dúvidas, mas prestar mais informações a respeito da função dessas farmácias.

Elas podem, por exemplo, apresentar medicamentos na forma de cápsulas, comprimidos, pós, géis, supositórios, colírios, pirulitos e balas, facilitando o consumo. Também há opções para manipular florais de Bach e fitoterápicos (à base de plantas).

A grande maioria dos produtos precisa de receita médica (alguns cosméticos dispensam a prescrição). Nela, o médico indica a quantidade exata de substância que precisa ser usada na fórmula.
Dados da Anfarmag mostram que 30% da fabricação dos manipulados vem da área de dermatologia. O restante fica por conta da ginecologia, cirurgia plástica, gastroenterologia e endocrinologia, entre outras especialidades. Muita gente não sabe, mas é possível fazer remédios até mesmo para tratar problemas cardíacos, pressão alta e depressão. É o caso da versão manipulada do Prozac, indicado para pessoas deprimidas. O farmacêutico necessita apenas do princípio ativo desse comprimido, a fluoxetina. Por enquanto, não são feitas drogas contra o câncer e a Aids.
Um dos entraves é que, no caso da primeira doença, muitos medicamentos ainda estão sob a lei de patentes e só podem ser produzidos pelo laboratório que a detém. Os fornecedores de determinadas matérias-primas também dificultam a venda dos compostos para o setor porque não fazemos compras em grandes quantidades. Esse obstáculo, no entanto, não impede que as farmácias de manipulação ofereçam um serviço diferenciado à clientela. Elas garantem um tratamento personalizado. Somente a farmácia de manipulação é capaz de produzir o remédio de acordo com as necessidades exatas do paciente. Por isso, deve ser vista como mais uma opção.

Remédios Manipulados oferecem opção para o consumidor

Provavelmente, muita gente ainda guarda na memória aquela imagem antiga das boticas em que eram preparadas fórmulas simples de cremes e loções. Nos últimos anos, porém, essas casas tradicionais (hoje mais conhecidas como farmácias de manipulação) se transformaram. Atualmente, pode-se manipular praticamente qualquer medicamento e obter alternativas para vários problemas de saúde. Para divulgar essas informações e orientar o consumidor a fazer uma boa compra foi lançado recentemente o manual do consumidor das farmácias de manipulação. O guia foi elaborado pela Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag), entidade que representa o setor. O livreto deve ser distribuído gratuitamente nos dois mil estabelecimentos ligados à instituição – no Brasil existem cerca de 5.250 farmácias do gênero.
Requisitos – Os remédios manipulados são feitos com a substância ativa presente nos medicamentos de marca. A diferença é que os produtos são desenvolvidos na própria farmácia. Ou seja, não são elaborados em escala industrial. Por isso, a principal orientação é verificar se a casa possui um farmacêutico no local. Ele é o profissional certo para falar sobre os produtos. Deve-se exigir a sua presença quando houver dúvidas. O profissional pode informar se o remédio deve ou não ser tomado com leite ou se há riscos de a droga causar algum problema quando ingerida com outro medicamento. A presença do especialista é apenas um dos requisitos para saber se a farmácia é de confiança. Há outros pontos a observar, como a higiene do local e a pontualidade na entrega do medicamento

Informações gerais sobre o uso do medicamento manipulado
(precauções e advertências)

O medicamento manipulado é de uso exclusivo do paciente;
Manter o medicamento em sua embalagem original, fechada, em lugar seco, fresco, ao abrigo da luz e do calor;
Não guardá-lo em armários do banheiro ou perto de pias;
Lavar e secar bem as mãos antes de usá-lo;
Evitar contato direto das mãos com o medicamento. Para os cremes, usar a espátula;
Fechar bem a embalagem após usá-la;
Nunca tomar o medicamento no escuro, pois poderá haver erro na quantidade a ser tomada ou troca de medicamento;
Não ingerir bebida alcoólica com medicamentos de uso oral - consultar antes o farmacêutico;
O tamanho, a cor e a quantidade de cápsulas por dose podem variar de acordo com o procedimento utilizado na sua preparação, em nada interferindo na atividade farmacológica;
Algumas matérias primas têm, por natureza, um odor muito forte, que pode ser evidente mesmo quando pronto o medicamento;
Fórmulas que utilizam princípios ativos de origem vegetal podem ter a sua coloração e consistência variável, de acordo com a época da colheita da erva;
O peso ou volume dos produtos manipulados corresponde ao que está discriminado no rótulo, independente da capacidade máxima das embalagens;
Não utilizar o medicamento com a data de validade vencida;
Manter o medicamento fora do alcance de crianças e animais domésticos;
Consultar o seu médico antes de repetir fórmulas, pois existem muitos produtos que não devem ser utilizados pro períodos prolongados, mesmo que não sejam controlados;
Usar medicamentos somente com prescrição médica, sem alterar a posologia;
Suspender o uso do medicamento e comunicar imediatamente o seu médico, quando do aparecimento, durante o tratamento, de reações adversas, sintomas inesperados e gravidez.



 
Desenvolvido por UNU Soluções